11/02/15

TOLERÂNCIA E CUMPLICIDADE

Como compreender as duas coisas, como ser tolerante sem que haja uma cumplicidade.

A palavra nos mostra que Jesus amou o pecador.
Porque Deus amou o mundo, de tal maneira, que deu o seu Filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3:16)
Mas, Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. (Romanos 5:8)

Mais Jesus não consentia com o pecado.
E aconteceu que, estando ele (JESUS) em casa, sentado à mesa, chegaram muitos publicanos e pecadores, e sentaram-se juntamente com Jesus e seus discípulos. E os fariseus, vendo isto, disseram aos seus discípulos: Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores? Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes. (Mateus 9:10-12)

O Senhor Jesus veio a esse mundo com o objetivo de salvar o pecador, Ele deu a vida por nós, por causa dos nossos pecados. Jesus ama sim! Mais o amor de Cristo não estar condicionado a aceita o pecado, o fato dEle estar com pecadores não significa consentir o pecado.

Ele disse:
Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas...
Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia. (João 12:46;48)

Observe que Jesus enfatiza o rejeita-lo e não receber a suas palavras; O fato é que ninguém rejeita a Cristo, mais a sua palavra nem todos recebem.

Vejamos o que a palavra diz a respeito do pecado:
 Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento. (Mateus 9:10-13)

Jesus estava no meio dos pecadores, mais não significava que Ele consentia com o pecado;
Nessa mesma passagem JESUS foi criticado pelos fariseus, por que comia com pecadores e Ele disse: "quem precisa de médico são os doentes " (Mateus 9:12)

Jesus recebia os pecadores com amor e misericórdia para mostra a eles a necessidade do arrependimento, a necessidade de deixa o pecado e fazer o que é correto.

AGORA PENSA COMIGO:
Como pode então alguém levar a cura para os doentes sem lhe dar um remédio?
Como levar a salvação aos pecadores, sem lhe mostrarem seus pecados?
Como ajudar alguém a se libertar, sem lhe dizer onde está o erro?
Como um pai pode corrigir o seu filho, se não o disciplinar?

Será que se indignar com o mal, e falta de tolerância? Claro que não! A falta de tolerância não estar em falar do pecado, pós o verdadeiro amor de Cristo estar em querer o bem a todas às pessoas; Jesus jamais diria ao pecador que estaria tudo bem com ele, sabendo que o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23) ou seja, a morte eterna, a separação entre Deus e o homem.

Quando somos tolerantes com o pecador, amamo-los na mesma condição de Cristo, apesar de convivermos com ele, e não condenarmos as suas ações, (pós o julgamento não pertence ao homem mais a DEUS), Não podemos deixa de falar que o pecado é o maior mau que destrói o homem, pós se o pecado não tivesse significância, não teria a necessidade de Cristo morre por nós.

Mais quando somos coniventes com o erro (pecado), estamos fazendo duas coisas.
1- Estamos tirando a oportunidade de alguém se arrepender
2- Estamos dando oportunidade aquele não erra (peca) de errar, já que não corrigimos o que erra

TOLERÂNCIA: Ato ou efeito de tolerar pequenas diferenças; respeito ao direito que os indivíduos têm de agir, pensar e sentir de modo diverso do nosso.


CÚMPLICE: Quem colabora em, ou participa com outrem de algum fato.